Tecnologia: saiba o que é verdade ou mentira

MitosTecnologia

A tecnologia que nos envolve simplificou nossa comunicação, melhorou a forma de trabalhar e, claro, a maneira de nos relacionarmos com os nossos amigos e família. Só tem um probleminha: ela evolui tão rápido que, às vezes, acabas inventando alguns mitos sobre um determinado tipo de produto ou utilização da internet, por exemplo.

Recentemente, o caderno Tec da Folha de São Paulo ouviu especialistas em diversos campos da ciência, para derrubar, ou até mesmo confirmar, algumas dessas “lendas urbanas”. Eu, mais do que rapidamente, selecionei aquelas mais interessantes e trouxe aqui para o blog.

Primeiro, que tal derrubar alguns mitos?

Ler no computador faz mal aos olhos? Na verdade não. O que acontece é que toda vez que prestamos atenção a um livro, TV ou computador, nosso ritmo de piscar diminui. Se você tiver problemas na produção de lágrimas isso pode gerar incômodo. O que acontece é que o computador tem a capacidade de prender nossa atenção por mais tempo, daí o incômodo é maior.

Quanto mais megapixels, melhor a foto? Nem sempre! O que conta no resultado final de uma foto é o tamanho do sensor óptico e a qualidade das lentes. Olha só que curioso: às vezes uma câmera com estes dois itens dentro da média e com MUITOS megapixels gera um resultado inferior ao que outro modelo com menos megapixels, principalmente em situações de pouca luz.

Computadores da Apple não têm vírus. Têm sim! É que a base de usuários é menor e daí os criadores de programas maliciosos acabam se dedicando mais aos micros com Windows. Mas em 2012, 700 mil Macs pelo mundo foram infectados!

TVs de Plasma não são as melhores. Esse é um mito que já desbanquei em alguns de meus posts por aqui e no Portal. Em alguns casos, principalmente quando as condições de luz e ambiente são controladas, as TVs de Plasma têm rendimento muito maior do que as LCD e LED. Principalmente em recursos como brilho e qualidade de imagem.

Boleto é menos arriscado do que cartão de crédito? Que nada! Em 2013, por exemplo, um vírus que alterava os valores dos boletos circulou no país. O que você tem que ver é que se o site onde você está comprando tem todos os protocolos de segurança e se o endereço da página do carrinho de compras começa com “https:”, o que indica uma conexão segura.

Calma, que nem tudo o que se ouve por aí é falso. Tem muita informação que procede. Fique de olho!

Se eu fechar alguns aplicativos a bateria do meu smartphone dura mais? Sim! Houve um tempo em que isso era mandatório. Mas, mesmo com os avanços do Android e do iOS na multitarefa (diminuindo o consumo de aplicativos que não estão em uso), muitos apps ainda consomem a bateria quando minimizados. Portanto, feche tudo!

Usar Wi-Fi é menos seguro do que as redes 3G e 4G? A informação procede, mas não pela característica técnica de uma rede ou outra. É que as redes 3G e 4G estão sempre sob a responsabilidade de uma operadora. Já as Wi-Fi muitas vezes são configuradas sem segurança alguma, ou com protocolos que facilitam invasão e roubo de dados dos equipamentos conectados à ela.

Você pode ser rastreado a partir de seu celular? Sim, é possível. A maioria das operadoras tem como identificar a origem e destino de suas ligações. Contudo, “ouvir” o que você falou, só com mandado judicial.

É melhor deixar a carga de tablets e smartphones zerar antes de carregá-los novamente? Hoje em dia, não. É que as atuais baterias são a base de Lítio, que não tem o tal efeito memória, ou seja, perdem a capacidade de carga se carregadas ainda com energia. Mas atenção: ainda existem pilhas recarregáveis de Níquel-Cádimo que têm o efeito memória!

É ilegal desbloquear o meu celular? Pelo contrário: é obrigatório que as operadoras realizem o desbloqueio dos aparelhos quando solicitado.

Ufa, quantas dicas, não é mesmo? Você sabe de mais alguma lenda dessas? Comente aí!