Os drones do Facebook vão levar internet para quem não tem

Você que está sempre por aqui lendo o meu blog sabe como é bom estar conectado, certo? Mas sabia que as gigantes empresas da internet estão numa corrida para levar conexão às estrelas e de lá para todo o mundo?

Pois é, uma delas é o Facebook, que deve investir em torno de US$ 60 milhões para comprar uma empresa chamada Titan Aerospace, uma fabricante de aviões não tripulados, os drones. Esta empresa desenvolveu pequenas aeronaves movidas a energia solar que ficam próximas à órbita da Terra e que podem permanecer lá por quase cinco anos completos.

Eles podem ser posicionados acima de regiões como a África, por exemplo, e fornecer acesso à internet para quem hoje nem consegue trocar um e-mail. Esta iniciativa faz parte dos esforços da Internet.org, uma parceria entre entidades e empresas de tecnologia que quer conectar as 5 bilhões de pessoas que ainda não tem acesso à internet. Se você quiser mais detalhes, dá uma olhada neste post que preparei.

O Facebook não é o único que busca os quase 2/3 da população mundial que não estão conectados ao mundo digital. Ano passado o Google lançou o projeto Loon, com balões que viajam pela estratosfera, cerca de 20 km acima da superfície da Terra.

Eles usam programas de computador muito avançados para determinar onde os balões precisam ir e levam cada um deles para uma camada de vento que sopra na direção correta. Ao se moverem com o vento, os balões podem ser dispostos de modo a formar uma grande rede de comunicação, fornecendo internet para o mundo todo.

Mas não se engane: as empresas não são boazinhas e querem que todos acessem a internet, assim como eu e você. Empresas como o Google e o Facebook precisam do acesso constante de seus usuários para gerar dinheiro. Além da publicidade, o Facebook tem em dois aplicativos para smartphones, o Whatsapp e o Instagram, duas maneiras de expandir sua base de usuários e continuar ganhando milhões com publicidade.

Para isso, precisa que todos no mundo acessem seu site e usem seus aplicativos, portanto nada mais lógico do que fazer com que todos (os sete bilhões de pessoas) possam acessar a internet, diretamente do Facebook.

E você, o que acha? Usaria a internet do Google e do Facebook? De graça, é realmente algo a se considerar, não?