Google vai armazenar dados de genoma humano

google-vai-armazenar-dados-de-genoma-humano

Gente, eu li uma matéria no “The Verge” e cheguei à conclusão que o Google é realmente uma potência, quando o assunto é inovação, né?  Tanto é verdade, além do seu buscador, o Google já vem abordando hospitais e universidades para usarem seu serviço de armazenamento na nuvem específico para genomas humanos e assim guardar os seus bancos de DNA. Ousado, não é mesmo?

Então, esse novo projeto do Google denominado Genomics tem como objetivo principal, armazenar a digitalização de código genético humano. Ahh! Antes, deixa eu te explicar como funciona o genoma!

Na verdade, o genoma humano é o código genético de cada pessoa, ou seja, o conjunto dos genes onde fica toda a informação sobre a construção e o funcionamento de um organismo, sabe? Então, esse código fica dentro de cada uma das células do corpo, e se ele puder ser decifrado, pode ajudar na descoberta da causa de muitas doenças, que futuramente podem ser evitadas e combatidas. Interessante isso, né?

A meta com esse projeto é explorar a variação genética e facilitar todos os processos envolvendo grandes quantidades de dados dos genomas, oferecendo os serviços de estudos do Google para as pesquisas feitas em hospitais e laboratórios, e ajudar a desenvolver padrões internacionais. Uau!

E como funciona?

De acordo com o Google, os pesquisadores podem armazenar na nuvem, as informações sobre um genoma humano que equivale a 100 GB de dados pelo valor de US$ 25 por ano. Mas, uma vez que essas informações, ou seja, o código genético de uma pessoa é filtrado, ele ocupa menos de 1 GB! Daí nesse caso, o serviço de armazenamento fica apenas US$ 0,25 por ano. Resumo da ópera, o valor e a quantidade a ser guardada vai depender da necessidade de cada cliente, né?

Olha só, o Instituto Nacional do Câncer dos EUA já é um dos clientes do serviço, viu?! Tanto que ele afirmou que vai pagar cerca de US$ 19 milhões para fazer o upload de cerca de 2,6 petabytes em relação ao Atlas do Genoma do Câncer  – hora da tecla SAP – petabytes é uma unidade de armazenamento que tem o símbolo PB e dependendo da quantidade armazena muuuita coisa. Impressionante, hein?!

E tem mais: ainda de acordo com o site “The Verge”, pelo menos 3 mil e 500 genomas de projetos públicos já podem ser encontrados no Google Genomics. 😉

Dá uma olhadinha neste vídeo para entender ainda mais sobre o novo projeto:

E aí, o que você acha desse novo Google Genomics? Conta pra mim!