Descoberto o 1º vírus capaz de atacar qualquer iPhone

descoberto-o-1o-virus-capaz-de-atacar-qualquer-iphone

Gente, quem é usuário dos dispositivos da Apple sabe que é quase impossível que um aparelho como o iPhone, por exemplo, seja hackeado, não é mesmo? Opa! Espera. Impossível? Não desta vez! Vem com a Lu, porque a notícia é quente!

Pela primeira vez os hackers conseguiram a tal proeza! Pois é, eles conseguiram invadir o sistema de vários iPhones que não tinham sido desbloqueados com o jailbreak. Calma, que é a hora da tecla SAP: o jailbreak é um processo aplicado no iPhone que funciona para desbloquear vários recursos do aparelho. Logo, dos usuários que não usaram o jailbreak, a infecção já atingiu mais de 300 mil aparelhos. Esses hackers não perdem tempo, né?

Fiquei sabendo que os pesquisadores de Palo Alto, lá na Califórnia, onde fica a Apple, descobriram uma brechinha chamada Wirelurker. Parece que ela se espalhou pela Maiyadi App Store, uma loja terceirizada de aplicativos para OS X, que é usada na China. De acordo com as minhas fontes, os apps infectados foram baixados 356.104 vezes até agora.

Mas como isso é possível? Uma vez que o computador tenha sido comprometido, o vírus vai para um dispositivo com iOS, através do cabo USB. Daí, ele reescreve os programas atuais do aparelho, substituindo o arquivo binário, que é, na verdade, um arquivo de computador que pode conter qualquer dado, por exemplo, um documento contendo texto formatado, sabe?

Assim que o Wirelurker obtém acesso ao dispositivo, a única coisa que ele faz é incluir um aplicativo de livro em quadrinhos, o que parece ser um teste aparentemente inofensivo. Tudo indica que isso toda essa manobra foi para ver o alcance do vírus, e a próxima etapa seria conseguir dinheiro com esse método.

Mas nem tudo está perdido, gente! A própria Palo Alto desenvolveu um aplicativo que testa o aparelho para saber se ele está infectado. Ainda assim, a empresa aconselha que, enquanto a Apple não resolve o problema, os clientes da marca devem evitar lojas terceirizadas e não conectar os dispositivos a computadores de desconhecidos, viu?

E aí, você já passou por alguma situação como essa? Conta aqui nos comentários!