Casal de cegos adota soluções digitais para ter mais qualidade de vida

Prepara o coração porque só de lembrar desse caso já dá pra se emocionar, viu? A nossa sexta Missão Digital foi ajudar um casal de deficientes visuais lá de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, a ter uma qualidade de vida melhor.
E não pense você que a deficiência limita os dois não! Apesar das dificuldades, eles são um casal muito ativo que gosta de passear, fazer exercícios e compras no mercado. E tudo isso, claro, sempre juntinhos! Ai, que lindos!
Bom, mas como ajudar os dois a tirar tudo isso de letra? Olha, eu até me empolgo na hora de falar porque teve uma solução mais fantástica que a outra! É sério gente, muita gente (muita gente mesmo!) veio falar comigo nas redes sociais perguntando sobre o assunto, viu?
Olha, pra começar, a gente equipou o casal com tablets e smartphones e ensinou eles a habilitar as funções que ajudam os deficientes visuais a usar os aparelhos.
E os aplicativos? Ah, os aplicativos! Teve o Be My Eyes, que funciona assim: ele conta com voluntários que “emprestam” a visão para quem não enxerga. Através da câmera do celular, eles conseguem ver, por exemplo, a data de validade de algum produto que a pessoa precisa comprar. Genial, não é mesmo?
Aliás, falando em fazer compras, como fazer para pagar sem ver as notas, já que elas são quase do mesmo tamanho? Para ajudar nisso, existe o aplicativo NantMobile Money Reader, que usa a câmera do celular para identificar as notas e fala qual é em voz alta!
Além dele, teve também o Digit Eyes, que faz a leitura do código de barra dos produtos e informam tudo sobre eles. Ah, e também dá pra criar seus próprios códigos QR e, quando você coloca o celular sobre eles, o aparelho te fala o que é.
Já o Light Detector é um app muito útil que identifica o quanto o ambiente está iluminado. Quanto mais luz, mais barulho ele faz. Assim, ele ajuda os deficientes visuais a não deixar nenhuma lâmpada acesa ou janela aberta.

Quer saber mais sobre as soluções? É só clicar aqui!