Conheça história emocionante do projeto Amor em Mechas!

Eu entrevistei a Débora Pieretti, que tem 48 anos e descobriu, aos 15, que queria ser dentista. Ela chegou a fazer dois anos e meio do curso de odontologia, mas, acabou se casando, virou mãe do Vitor e teve que adiar os planos um pouquinho. Depois de assistir uma palestra sobre como  um sorriso contagia o ambiente, ela decidiu retomar o curso em 2015, ou seja, 20 anos depois. Afinal, nunca é tarde pra realizar os nossos sonhos, né?

Mas esse ano não foi só de alegria pra Débora, não. Foi justamente em um Outubro Rosa que ela recebeu uma notícia muito ruim. Ela não sentia nenhum tipo de dor ou incômodo mas, depois de fazer a mamografia e um ultrassom, o médico aconselhou que ela fizesse uma biópsia. E aí veio a notícia: estava com câncer de mama. Triste, né? O tipo de notícia que faz as pessoas se perguntarem: “Por que comigo?”.

Bom, a vida da Débora mudou. Ela passou por cirurgia, 4 quimioterapias e 30 radioterapias. Acontece que um dos efeitos colaterais de tantos tratamentos é a queda de cabelo. E com ela, não foi diferente.

Mas a vida da Débora estava pronta pra mudar de novo! Em 2016, ela participou de um evento para pessoas com câncer, onde ganhou uma peruca. Emocionada, ela pensou: “Quando eu estiver melhor, quero que outras mulheres tenham a oportunidade de sentir o que eu estou sentindo”. Ela queria dar a outras mulheres a chance de ganhar uma peruca sem pagar nada. Muito importante para a autoestima feminina, não é mesmo?

Foi aí que nasceu o projeto Amor em Mechas, que conta com doadores de cabelo e faz perucas para que pessoas que passam pela mesma situação possam usar. Tudo de graça! A própria Débora conta tudo pra gente agora!

Lu – Débora, me conta: como você descobriu que estava com câncer de mama?
Débora – Eu estava no metrô, quando vi um cartaz sobre o Outubro Rosa. Aí lembrei que tinha que fazer os meus exames e marquei um ginecologista. Os exames apontaram que tinha um nódulo que precisava ser melhor investigado, mas mesmo assim eu fiquei tranquila, achei que não era nada, que não ia acontecer nada comigo. Aí, depois da biopsia, veio a confirmação. Eu estava com câncer de mama.

Lu – E como  foi receber essa notícia?
Débora – Na hora, eu pensei: “acabou”. Eu passei por uma cirurgia para retirada do nódulo, por 4 quimioterapias e 30 sessões de radioterapia. Um dos efeitos colaterais foi a queda de cabelo e isso foi muito difícil pra mim. Era difícil me olhar no espelho. Até que, em fevereiro de 2016 eu participei de um evento e lá, coloquei uma peruca, de frente para o espelho e foi uma sensação muito boa. Foi quando eu decidi que queria fazer isso por outras mulheres!

Lu – E como surgiu o projeto Amor em Mechas? Como ele funciona?
Débora – O projeto surgiu em 8 de março de 2017. Foi de propósito, no Dia Internacional da Mulher. Hoje, nós temos mais de 150 urnas espalhadas pelo Brasil, onde as pessoas podem fazer doações de mechas que nós usamos para fazer as perucas. Uma peruca hoje custa muito caro. Cerca de R$ 1000, R$ 1200 reais. Eu já cheguei a entregar perucas que tinham valor de mercado de R$ 2000. Mas, nós doamos. É um ato de acolhimento, de dizer pra pessoa: “estamos juntos”. Além de doar, nós também fazemos o envio. Então, não importa de onde a pessoa seja! E não é só a peruca que doamos não. A gente distribui o que chamamos de “kit de sobrevivência” oul “kit do amor”, que vem com peruca, lenço, álcool gel, colar de pérolas, brinco, maquiagem, livro e esponja de banho.

Lu – E como as pessoas interessadas em doar as mechas podem encontrar as urnas?
Débora – Hoje nós temos um aplicativo, o Urnas Amor em Mechas, disponível pra quem tem Android, que mostra onde estão as urnas mais próximas de você. Ele está na Google Play Store, é só fazer o download.

Lu – Como o projeto se mantém hoje?
Débora – Nós fazemos vários eventos, inclusive em empresas, onde falamos sobre o projeto e colhemos doações. Em uma das empresas, inclusive, a adesão esperada era de 30 mulheres e, no final, tivemos 90 doadoras. Isso emocionou até a equipe de RH, porque a gente não esperava tanta gente! Nesses eventos, nós vendemos uma série de produtos como copos, sacolas, pingentes, espelhos, bijuterias…enfim, vendemos a preços simbólicos, mas isso nos ajuda a arcar com as despesas de envio, entre outras. Agora, aluguei um escritório para o projeto, com a cara e a coragem, porque eu tenho muita esperança de que o projeto ainda tem muito a crescer!

Lu – Tem algum outro jeito de ajudar o projeto?
Débora – Quem quiser ajudar, também pode adquirir no site da Época Cosméticos, lenços lisos ou estampados, por R$ 29,00, até o final do mês de outubro. Todo o valor arrecadado vai ser revertido para o Amor em Mechas.

Lu – Débora, quem precisa de uma peruca, como faz pra entrar em contato?
Débora – As pessoas podem entrar em contato pelo nosso site (lá tem também o número do WhatsApp e outras formas de contato) e aí, é só mandar alguns dados. É importante dizer também que, embora o câncer de mama tenha sido o motivo pelo qual o projeto começou, nós também já ajudamos pessoas com Alopecia (doença que causa queda dos cabelos) e até uma transexual que sofreu violência doméstica. As pessoas costumam dizer: “Ah, mas cabelo cresce”. Mas e enquanto ele não cresce, como a pessoa fica? Então acho que nós temos que ajudar sim!

Lu – E qual sua mensagem para todas as mulheres?  

Débora – Não tenham medo de fazer os exames preventivos. Ainda existem aquelas que falam “não vou fazer, pois quem procura acha”…e eu rebato: quem acha, cura!

Que história inspiradora, Débora! Como é bom ter pessoas como você, que fazem da luta um aprendizado e, melhor: que usam esse aprendizado para ajudar outras pessoas em um momento tão delicado! Parabéns!


Fique de olho:

Amor em Mechas
Site: www.amoremmechas.com
Facebook: www.facebook.com/amoremmechas
Aplicativo: Urnas Amor em Mechas, disponível para Android na Google Play Store (Clique aqui para fazer o download)