Blackphone: ele é todo trabalhado na privacidade

blackphone2

Falei do Blackphone no blog, naquele post sobre a MWC 2014. Você leu, né? Mas não resisti e estou aqui novamente falando deste interessante projeto.

O que mais me chamou atenção foi sua origem. Ele nasceu como resposta às constantes ameaças de invasão de privacidade e espionagem digital que alguns governos fazem em nossas ligações e histórico de navegação pela internet.

Em função disso, a Silent Circle, empresa especializada em desenvolver softwares ultrasseguros, lançou o conceito de “PrivatOS”, ou seja, um sistema operacional móvel que pioriza a privacidade do seu dono. Como ele faz isso?

Simples: ele usa modificações no Android para permitir esta segurança toda. O objetivo é colocar na mão dos usuários um aparelho 100% invisível à essas invasões, e permitir que cada pessoa escolha se quer ou não manter o aparelho com as configurações de privacidade.

A ideia é usar uma série de aplicativos que criam pontes seguras entre quem envia e quem recebe as mensagens. O Silent Phone, por exemplo, cria ligações criptografadas. Já o Silent Text permite que você troque mensagens de texto sem que ninguém mais no mundo fique sabendo. E tem também o Silent Contacts: que mantém sua lista de contatos 100% segura.

Mas fique atento: todo esse esquema só funciona quando os dois integrantes da conversa estão utilizando os aplicativos. Por isso, cada assinante recebe três convites de assinatura grátis para distribuir para os “mais chegados”.

Curti bastante a ideia de desenvolver uma solução com 100% de segurança em nossas ligações telefônicas. E você: se sentiria mais seguro assim?