5G: tudo que você precisa saber

5g-tudo-que-voce-precisa-saber

Já falei pra você que sou apaixonada pela tecnologia, né? Justamente porque todo dia tem coisa nova e bacana pra contar aqui no blog. E falar de internet móvel é sempre muito legal, olha só as novidades que vem por aí!

A União Internacional de Telecomunicações, um órgão que pertence à ONU, já decidiu que a quinta geração de internet móvel precisa ter um padrão comercializável até o ano de 2020, ou seja, daqui a cinco anos. Mas, a primeira reunião oficial para definir os padrões do novo 5G está agendada para o dia 15 de setembro deste ano, no 3GPP, órgão que padroniza as tecnologias de comunicação móvel.

Me parece que nesses próximos cinco anos, a indústria deve investir quatro trilhões de dólares na tecnologia – Coreia do Sul, Estados Unidos, Europa e Japão estão à frente dessas pesquisas. Muita coisa, né?

Como se sabe, o 3G e o 4G também são padrões de banda larga móvel, a questão que diferencia o novo padrão dos atuais é que com 5G, que deve oferecer muito mais velocidade, a ideia é criar uma rede ainda maior de conexão e capaz de oferecer cobertura confiável a bilhões de dispositivos. Só pra se ter uma ideia disso,  a previsão é que tenhamos 665 bilhões de dispositivos conectados nos próximos cinco anos. Já imaginou?

Pelo que andei lendo, alguns testes realizados já mostram que o 5G terá capacidade de transmitir dados a até 20 gigabits por segundo. Tem noção? É velocidade suficiente para baixar um filme em altíssima definição em poucos segundos. Não é demais?

Olha só que curioso, hoje, a conexão de internet mais rápida oferecida pra todo mundo é de 500 giga, ou seja, não é nem 10% da velocidade que 5G vai trazer para nossos smartphones, por exemplo.

Mas, de acordo com os especialistas da área, a gente não vai ter que esperar tanto para ter altíssimas velocidades de conexão nos nossos dispositivos móveis. Tanto que o 4G está evoluindo e poderá, logo, logo, alcançar o patamar de 450 megabits por segundo e, em um futuro não muito distante, chegar à casa do 1 gigabit por segundo: isto é, mais velocidade de conexão para os nossos dispositivos.

Ah! E tem outra coisa, além de uma capacidade de alcance e cobertura superior ao 4G, as novas estruturas do 5G devem permitir atingir latência de apenas um milissegundo. Explico: latência é, na verdade, o tempo entre você clicar em algo no seu smartphone, esse comando chegar a um servidor e a resposta desse servidor chegar de volta para você. Com uma latência tão baixa, vamos ter respostas imediatas em equipamentos conectados. Ou seja, algo essencial para, por exemplo, os carros autônomos… Show isso, hein?

Mas e o Brasil como fica nessa história toda?

Pois é, para funcionar no Brasil, o país terá que se antecipar e se estruturar para receber bem a nova tecnologia, viu? Temos aí pela frente 5 anos e já se sabe que o 5G trará outra realidade para o mundo, inclusive até um novo cenário para a economia. E cá entre nós, o ideal seria começar esses preparativos a partir de hoje pra que as previsões sejam otimistas por aqui também. Vamos torcer, então!

E você o que acha que esta nova conectividade 5G pode trazer de melhor?